Produtividade eficiente x produtividade eficaz e inovadora

Já parou para pensar em como se prioriza a produtividade sem pensar nos fatores que a fazem acontecer?

Na visão que tenho sobre produtividade, existem cinco pilares que sustentam essa meta tão cobiçada pelos gestores: a integração do time, o desenvolvimento das pessoas, a capacidade de achar soluções, o reconhecimento e a comunicação. Essas cinco forças formam um círculo vicioso que faz com que o ambiente de trabalho fique sempre melhor a cada girada de ciclo.

Se pensarmos bem, um time tem que se conhecer bem, tem que estar bem integrado para saber quais recursos dispõe, quais habilidades e competências existem para fazer com que as atividades e processos possam ser executados. Um grupo que se conhece bem sabe no que precisa desenvolver as pessoas que o compõe. As pessoas são capacitadas dentro de suas necessidades para atender o processo em que estão inseridas na empresa. Um ponto muito importante que surge com a capacitação das pessoas é o aumento do capital intelectual dentro do time, uma propriedade que nenhuma espionagem industrial é capaz de roubar ou clonar.

Quando você está capacitado a exercer a sua atividade plenamente, fica fácil enxergar pontos em que se faz necessário uma maior atenção ou oportunidades de melhoria para otimizações de sistemas. Os problemas são discutidos com mais propriedade e não só soluções paliativas ou corretivas surgem a partir deste ponto, a mudança de olhar também floresce. A melhoria contínua e a inovação começam a dar o ar da graça e assim os resultados surgem não só eficientemente, como já era esperado, mas também de maneira eficaz, gerando um ganho maior para a empresa, conduzindo-a para um novo nível de competitividade.

É claro que se deve ter em mente o fato de que um bom trabalho deve ser reconhecido sempre, afinal de que adianta a pessoa se superar se terá o mesmo retorno que receberia se tivesse mantido o mesmo ritmo e entregando apenas o que lhe foi pedido? Para haver superação deve haver motivação, e o reconhecimento é o combustível para isso ocorrer. Uma pessoa se sente valorizada ao ser reconhecida pelo trabalho que fez.
A meu ver, o reconhecimento deve sim vir da liderança, mas não é o único caminho a seguir. O reconhecimento pode ser tanto vertical como horizontal, pode ser tanto feito por alguém acima hierarquicamente como por um colega. Reconhecer alguém não é difícil, não se precisa contratar uma consultoria de team building para isso ser realidade. Basta uma única coisa: boa vontade. Um e-mail, um aperto de mão, um obrigado ou mesmo um sorriso podem fazer milagres.

Fechado o ciclo temos o que para mim é o pilar mais importante: a comunicação! Sem ela não é possível a equipe se integrar ou saber onde precisa ser trabalhado para resolver gaps nos processos. Sem ela não é possível chegar a soluções ou a inovações nas atividades da empresa, tão pouco pode nascer qualquer tipo de reconhecimento. Uma comunicação leve, direta e eficaz é imprescindível! Saber a hora de encaminhar um e-mail ou chamar uma reunião pode fazer toda a diferença para o desenvolver de um projeto. Imagine a redação de um jornal onde são criadas pautas onde ninguém se conversa? Que tipo de direcionamento a revista ou o jornal terá? Com certeza não dá certo. Isso vale para qualquer ambiente de trabalho. E se não há conversa, como saber se alguém merece ser reconhecido por algo se ninguém sabe o que cada um faz dentro do grupo? A comunicação é a força motriz por trás de tudo!

E cada vez que este ciclo dá uma volta, a equipe está mais integrada e unida e isso permite que as pessoas consigam se desenvolver mais porque enxergam mais fácil os gaps a serem cobertos. Capacitados, os colaboradores tem uma visão sistêmica melhor de seus processos de trabalho, o que permite pensar em soluções, inovações e melhoria contínua. Isso tudo leva o grupo na rota da excelência empresarial. A comunicação, cada vez mais afinada, permite que tudo acontece com harmonia e no “tempo” certo, sem informação truncada ou perdida.

Esse tipo de gestão favorece o clima organizacional porque propicia um ambiente motivador às pessoas e as fazem trabalhar mais concentradas e produzem mais desta maneira. Também desenvolve uma cultura mais colaborativa e com uma visão inovadora. Uma equipe colaborativa e inovadora com certeza será produtiva e eficaz.

Vivemos uma fase da história em que não basta ter uma empresa produtiva e eficiente, ela deve ser na essência produtiva, eficaz e inovadora. Isso a faz navegar por oceanos azuis ao invés de ficar lutando para sobreviver em oceanos vermelhos, com concorrentes ávidos para afundá-la em busca de espaço no mercado.

Acredito que tudo isso merece uma boa reflexão para pararmos um pouco para dar mais atenção a esses cinco pilares para a produtividade. E você, o que acha?

 

* Publicado originalmente no Ideia de Marketing.

About the author: inovadoramente

Leave a Reply

Your email address will not be published.